Ponte de Lima: a tradição que mora aqui ao lado

Era Setembro, o dia pedia passeio. Fomos até Ponte de Lima. Um miminho à beira rio plantado, cheia de lendas, tradições, festividades e curiosidades históricas. Por vezes é bom demorarmo-nos nos sítios que pensamos conhecer.
Respeite o horário… “também temos vida”… lia-se no letreiro à entrada de um restaurante, bem na rua principal, virada para o rio. Demos uma gargalhada, afinal Ponte de Lima é assim, uma vila cheia de “temperamento”. Não somos da terra, por isso não nos atrevemos a dizer: “o que visitar”. Contamos o que nos fascinou.
Marque encontro no centro da vila.
Passear pelas ruas do centro histórico é obrigatório. É pequeno, mas cheio de (re)cantos… a capela, a mercearia de bairro, a farmácia pintada de ‘antigamente’, o tasco bem ‘coradinho’, ou a fonte que parece um bolo de noivos. Como diz Teófilo Braga: “A terra onde eu nasci, terra de encanto; Cheia de graça, ó cheia de beleza; Deixa afirmar nas vozes do meu canto; Que és a mais linda terra portuguesa”. A esta beleza, “que não se pinta”, junta-se a Torre da Cadeia Velha, adaptada a prisão no século XVI, na altura de D. Manuel I. Na sua janela de grades, as pombas dão asas de liberdade. As ruas estreitas e empedradas pedem descanso nos bancos vermelhos no Largo de Camões, mesmo junto à Igreja Matriz. Aqui, ninguém fica indiferente ao touro de bronze, em tamanho real. Um tanto polémico, para alguns, mas representando uma das grandes festividades da terra, a “Vaca das Cordas”. Uma tradição que data de 1646, e que tem lugar na véspera da festa do Corpo de Deus.
Ponte de Lima tem força de lenda.
E por isso a caminhada deve estender-se até à ponte que une as duas margens do rio Lima. Chamada de “Ponte Velha” marca a paisagem da vila, como elemento arquitetónico por excelência. Quando a passas, hesitas! Lembras-te da lenda do rio Lethes. Será mesmo o Rio do Esquecimento? Nessa hesitação exploras esta margem do rio. Não ficas indiferente à Igreja de Santo António da Torre Velha e à curiosa Capela do Anjo da Guarda, que protege a vila e os peregrinos que lá passam a caminho de Santiago de Compostela. Não fosse Ponte de Lima parte da Rota do Caminho Português para Santiago.
Passamos a ponte. Ao longe, a estátua do General em cima do cavalo. Nome por nome, parece que o ouvimos a chamar pelos seus soldados, ainda hesitantes na outra margem. Rio do Esquecimento? Não, só se for Rio da Lembrança. Uma “lembrança viva desta terra amorável”.
Do outro lado, percorre-se parte da Ecovia do Rio Lima que nos levou ao “Jardim das Descobertas“. Doze pequenos jardins, provenientes de diversos países, promovem os sentidos e a imaginação. Visite, passeie-se por lá, bem devagar, que não irá arrepender-se!
O regresso fez-se “pela boca” e saboreamos o arroz de sarrabulho, acompanhado de um vinho verde loureiro, adega de Ponte de Lima. Não há como perguntar aos da terra onde se come melhor! Pelos vistos o Restaurante Manuel Padeiro é um deles. Mas é também nas descobertas que somos surpreendidos/as. Foi o que aconteceu na Casa da Terra. Bebemos uma cerveja artesanal, enquanto nos perdíamos pelo espaço. Pequeno, mas acolhedor. Cheio de surpresas… do conceito, ao artesanato, passando pela decoração do espaço, cheia de curiosidades e histórias passadas com cheiro a modernidade. A divulgação e promoção dos produtos do Concelho de Ponte de Lima é levado a sério… até na casa-de-banho 🙂 não contamos mais nada, têm de ir lá para ver!!
A tarde passou em passo de corrida, mas foi com um pezinho de dança que deixamos a vila, entre olhares esquinados e risos de consentimento. Afinal, o espírito festivo das Feiras Novas* ainda estava lá, nas animações sobrantes que decoravam as ruas e nas músicas populares que recordavam os transeuntes que o tempo era de alegria e festa.

 

*Celebradas desde 1826, é considerada o “maior congresso ao vivo da cultura popular em Portugal”.

 


calendar-icon  Passeio feito em setembro 2017
camera-photo_318-72639 Crédito fotográficos: Vera Duarte e Marcelo Andrade

2 comentários Adicione o seu

  1. Manuela Vann disse:

    Deu vontade de lá ir. Embora conheça Ponte de Lima há sempre novidades que nos escapam. Só um olhar atento pode transmitir tanta beleza.

    Curtido por 1 pessoa

    1. É uma vila mesmo bonita. Vale a pena a visita e o passeio

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s